cirurgica

Dermatologia Cirúrgica

Dermatologia > Dermatologia Cirúrgica

Dermatologia Cirúrgica

A Cirurgia Dermatológica é a área da Dermatologia que abrange todos os procedimentos realizados na pele ou no tecido subcutâneo.

Grande parte dos procedimentos mais conhecidos em Cirurgia Dermatológica é minimamente invasivo, requer apenas anestesia local e exige pouco tempo de recuperação.

Alguns dos procedimentos realizados são:

  • Biópsias
  • Eletrocauterização
  • Curetagem
  • Cauterização Química
  • Criocirurgia
  • Remoção de Pintas
  • Remoção de Verrugas
  • Remoção de Cistos
  • Remoção de Lipomas
  • Remoção de Tumores

Fotos dos procedimentos em:

 

Pele

dermatoscopia

Dermatoscopia Digital

Dermatologia > Dermatoscopia Digital

Dermatoscopia Digital

O uso de um dispositivo com uma lente de aumento, e luz polarizada, ligado a um computador com software específico, ajuda a avaliar melhor as “pintas” e “sinais” na pele.

Através desse exame, é possível uma análise detalhada das lesões de pele, detectar precocemente o câncer de pele, e monitorar as lesões suspeitas. É especialmente útil no diagnóstico precoce do melanoma. Após esse exame o médico pode sugerir uma biópsia da lesão suspeita, ou descartar a necessidade de uma biópsia.

Pacientes que já tiveram um câncer de pele ou com história familiar de câncer de pele, devem fazer um acompanhamento com seu dermatologista afim de detectar precocemente novas lesões.

oncologica

Dermatologia Oncológica

Dermatologia > Dermatologia Oncológica

Dermatologia Oncológica

A Dermatologia Oncológica é responsável pelo diagnóstico, tratamento e prevenção do câncer de pele, sabidamente, o tipo de câncer mais frequente no Brasil.

O dermatologista é o profissional mais indicado para reconhecer os primeiros sinais de alerta para o câncer de pele.

Examinar periodicamente o corpo dos pacientes e identificar lesões suspeitas de câncer da pele, usando o diagnóstico por imagens, exames não invasivos, como o mapeamento corporal total e a dermatoscopia digital, são medidas usadas para mapear áreas e lesões suspeitas, mesmo aquelas que nem podem ser vistas a olho nu.

O câncer da pele pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas. Somente um exame clínico feito por um médico especializado ou uma biópsia podem diagnosticar o câncer da pele, mas é importante estar sempre atento aos seguintes sintomas:

  1. Uma lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente;
  2. Uma pinta preta ou castanha que muda sua cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;
  3. Uma mancha ou ferida que não cicatriza, que continua a crescer apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.

Os três mais comuns tipos de câncer da pele são: carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma. Para auxiliar na identificação dos sinais perigosos, basta seguir a Regra do ABCD. Mas, em caso de sinais suspeitos, procure sempre um dermatologista. 

Nenhum exame caseiro substitui a consulta e avaliação médica.

Fotos da Regra do ABCD em:

Câncer da pele

dermatologia

Dermatologia Clínica

Dermatologia > Dermatologia Clínica

Dermatologia Clínica

Um dermatologista bem capacitado é capaz de diagnosticar, tratar e prevenir doenças da pele, cabelos e unhas, além de algumas doenças que acometem a mucosa bucal e genital.

Atua em todos os processos fisopatológicos que envolvem a pele: desde simples infecções, reações auto-imunes, inflamatórias, e tumores. Entre eles: acne (espinhas), alergias, vitiligo, psoríase, queda de cabelos, micoses, hanseníase, câncer da pele, DST ( doenças sexualmente transmissíveis) dentre outras.

Um diagnóstico preciso com tratamento adequado garante mais qualidade de vida, saúde e bem estar. Em alguns casos a abordagem precoce é fundamental. Nesses casos, procedimentos simples e eficazes podem levar desde a cura de um câncer de pele até a prevenção de cicatrizes inestéticas e desfigurantes.

Atualmente, o médico para se especializar em dermatologia, precisa cursar, além dos seis anos de medicina, mais dois a três anos de residência ou pós-graduação. Após este período, ele precisa passar em uma prova de Título de Especialista em dermatologia, concebido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Somente após a aprovação neste exame o médico é considerado especialista em dermatologia.

 

Fotos das doenças em:

https://www.sbd.org.br/pele